Fundação de Cultura de Camaragibe lança versão virtual do inventário participativo do patrimônio da cidade

Já está online e acessível para toda a população a versão virtual da primeira edição do Inventário Participativo dos Bens Históricos e Culturais do Patrimônio de Camaragibe. Através do site https://cultura.camaragibe.pe.gov.br/patrimoniohistorico, é possível saber mais sobre pessoas, lugares, celebrações e formas de expressões da cidade. O site agrupa informações resumidas de cada bem inventariado e disponibiliza para download o arquivo completo em PDF. 

O Inventário Participativo dos Bens Culturais de Camaragibe é fruto do esforço coletivo realizado pela sociedade civil e Fundação de Cultura em registrar aspectos únicos que compõem a história social do município. Em sua primeira fase, que foi de 2017 a 2018, integrantes da Fundação de Cultura junto à sociedade civil contribuíram para fazer um levantamento de mais de 100 itens possíveis de serem registrados para o patrimônio da cidade. Em uma etapa de pesquisa de campo, foram registrados em uma publicação digital 14 itens com informações detalhadas sobre sua história. Fazem parte desta lista o Barracão, a sede da Escola de Samba Couro de Gato, a República dos Solteiros, o Engenho Timbi, o Engenho Camaragibe, o Guarany Esporte Clube, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, a antiga Fábrica de Tecidos, a Escola José Collier, a Gruta de Lourdes, a Pedra da Gruta, a Caminhada de Osún, Seu Borba, Jota do Acordeon e Beto Hortis.

A 2ª fase do Inventário Participativo teve início em 2019 e contou com a colaboração e pesquisa de estagiários do curso de História da Faculdade Joaquim Nabuco – Núcleo São Lourenço da Mata. Nesta nova fase, mais seis itens foram inventariados: Biblioteca Penarol, Convento das Carmelitas, Estação Ferroviária, Fontainha, Quilombo do Catucá e Terreiro dos Camarás. O projeto de digitalização deste Inventário Participativo contou com a iniciativa de do assessor executivo da Fundação de Cultura, Jarmeson de Lima, do graduando em História pela UniNabuco Paulo Felipe Silva, com desenvolvimento web pelo NTI – Camaragibe. Em uma nova etapa prevista para este ano, está prevista a inclusão de QR-Code nos locais para melhor identificação do patrimônio local.

O Inventário Participativo permite, nos limites de sua feitura, que os sujeitos produzam conhecimento através de vivências investigativas expressas nos critérios da educação patrimonial do Instituto Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. Este projeto foi fruto de um treinamento e capacitação pela equipe do IPHAN e Fundarpe visando a inclusão futura destes bens na cidade como patrimônios potenciais. Esta ferramenta permite que os agentes culturais envolvidos possam participar ativamente da reconstrução narrativa de suas realidades, criando conexões múltiplas que visam fortalecer o pertencimento cultural com a sua localidade. 


Publicado em 17 de janeiro de 2020
Por Secretaria de Comunicação