II Encontro das Artes Cênicas de Camaragibe – 2019

Evento indaga o que é um espaço de arte em tempos de censura e crise, com
apresentações de espetáculos adultos, infantis, ações educativas, aula-espetáculo, roda de diálogos e lançamento de livro

O 2º Encontro das Artes Cênicas de Camaragibe dá continuidade a sua programação durante os dias 21, 22, 23, 24 de novembro, no Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro, e nos dias 01 e 08 de dezembro na Casa – Pós, no bairro da Vila da Fábrica, com apresentações artísticas, ações formativas, recital poético e lançamento do livro Bianor Trajetórias e Memórias. O segundo encontro é uma realização do Pós – Traumático com curadoria do ator e produtor cultural Ângelo Fábio e da atriz e produtora cultural Paula de Tássia.

O 2º EACC teve início na última sexta – feira (15), no Parque municipal de Camaragibe, com o Pólo Do Seio ao Circo, com o Coletivo Beleza e Fé apresentando a performance Circus Drag Show; e com a apresentação da performance aérea de Talita Onã. O 2º EACC vem com uma programação diversificada de espetáculos adultos e infantis e, no dia 21 de novembro no Cine Teatro Bianor, será apresentada a aula-espetáculo “A Dança Armorial”, com Maria Paula Costa Rêgo às 16h e o solo Mi Madre, de Jhanaina Gomes, às 20h.

Além do lançamento do livro Bianor – Trajetórias e Memórias, performances e ações formativas, o municipio de Camaragibe irá receber a performance poética Tamborismo, do poeta baiano Nelson Maca e do percusionista Jorjão Bafafé. Neste ano nos perguntamos: Isto é um lugar de Arte? O que é um lugar de arte? como ocupar estes lugares pra que eles sejam de fato Lugar de Arte? Através de um processo interessado pela formação e mediação cultural, seguimos realizando oficinas na Escola Técnica Alcides do Nascimento Lins em Camaragibe de forma gratuita para todo o público.

O 2º Encontro das Artes Cênicas de Camaragibe busca promover, valorizar, gerar intercâmbios e fomentar a produção cultural na cidade de Camaragibe como pólo das artes cênicas no estado. Mesmo sem incentivo governamental, o Pós – Traumático acredita no trabalho colaborativo através de uma importante rede entre artistas, produtores culturais e comércio local. (RE)ocupar os espaços públicos em tempo de crise e censura é de fundamental importância para o desenvolvimento artístico cultural da região, democratizar o acesso a cultura tornando o campo das artes cênicas mais acessível em Camaragibe, contribuindo para formação de público e transformações nas politicas públicas sociais.

A programação do II Encontro das Artes Cênicas de Camaragibe acontece de forma gratuita (Oficinas e Cine Teatro Bianor) e, a preços populares, na Casa – Pós. Com destaque este ano para o Pólo Do Seio ao Circo, que ocupou o Parque de Camaragibe com atividades circenses sob a curadoria de Paula de Tássia.

“Sabemos a importância da arte e cultura, sobretudo no atual contexto político do país, mesmo sem incentivo público sentimos a necessidade de realizar o 2º eacc na cidade de Camaragibe, oxigenando outras possibilidades de ver e experiênciar boas sensações através do fazer cênico, mesmo neste dificil e tenso momento em que vivemos”, comenta o idealizador do eacc, Ângelo Fábio.

Sobre o projeto
O I Encontro das Artes Cênicas de Camaragibe surgiu no ano de 2017, tendo como palco principal o Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro. O primeiro encontro gerou importantes laços entre a cena artística local, o diálogo com a gestão municipal e uma importante parceria junto ao departamento de Arte da UFPE. Naquele ano movimentou diversas atividades, dentre elas o curso de produção cênica, no qual jovens de comunidades carentes do município tiveram a oportunidade de se capacitar e ingressar no mercado de trabalho.

SERVIÇO: II ENCONTRO DAS ARTES CÊNICAS DE CAMARAGIBE

Programação:
PROGRAMAÇÃO FORMATIVA
Oficina: O ator performer. O ator trabalhador
De: 18 a 21 de novembro
Das: 14h00 às 17h30
Orientador: Charles Firmino
Local: Escola Técnica Alcides do Nascimento Lins

Oficina: Nua e Crua. Serigrafia Artesanal
De: 03 a 05 de dezembro de 2019
Das: 14h00 às 17h30
Orientador: Gus Cabrera
Local: Casa – Pós ( Av. Dr. Pierre Collier, 444 Vila da Fábrica)

Oficina de bordado: Resgate manual. O figurino e sua relação com a sociedade
De: 07 a 09 de dezembro de 2019
Das: 14h00 às 17h30
Orientador: Thalita Andrade
Local: Escola Técnica Alcides do Nascimento Lins


PROGRAMAÇÃO CINE TEATRO BIANOR MENDONÇA MONTEIRO
Aula-espetáculo com Maria Paula Costa Rêgo
A Dança Armorial – Se o movimento da dança necessita de pele, que esta seja malhada.
Através desta linguagem artística, mostra-se que o Armorial é antes de tudo uma maneira de ver o mundo. Uma maneira estética, mas também política. Um mundo onde as heranças culturais que formaram o tronco inicial da cultura brasileira, são valorizadas igualitariamente nas pesquisas e criações artísticas. E assim, valorizados os negros e os índios tanto quanto nossas características europeias, podemos construir em terreiro contemporâneo, não somente uma arte mais autônoma em relação aos moldes hegemônicos, mas também, uma relação entre as comunidades mais homogênea, igualitária e democrática.
Duração: 30 minutos

SERVIÇO
Dia: 21 de novembro (quinta-feira)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 16h
Classificação: Livre


Mi Madre
Jhanaína Gomes

Mi Madre é um espetáculo solo de dança- teatro, criado pela artista Jhanaina Gomes para falar sobre sua ancestralidade, sobre seu clã de mulheres que doem. Inspirada por imagens e histórias contadas durante seu período de infância, a artista remonta memórias de suas antepassadas alinhavando pontos de convergência entre sua história e a de suas matriarcas, tecendo uma correlação de tensão entre a presença masculina e o feminino ferido no percurso de vida dessas mulheres.
SERVIÇO
Direção e atuação: Jhanaína Gomes
Dia: 21 de novembro (quinta-feira)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 20h


Mi Madre
Atuação e direção: Jhanaína Gomes

Mi Madre é um espetáculo solo de dança- teatro, criado pela artista Jhanaina Gomes para falar sobre sua ancestralidade, sobre seu clã de mulheres que doem. Inspirada por imagens e histórias contadas durante seu período de infância, a artista remonta memórias de suas antepassadas alinhavando pontos de convergência entre sua história e a de suas matriarcas, tecendo uma correlação de tensão entre a presença masculina e o feminino ferido no percurso de vida dessas mulheres.
SERVIÇO
Direção e atuação: Jhanaína Gomes
Dia: 21 de novembro (quinta-feira)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 20h


Céu Estrelado – Pedra Polida. Grupo de Teatro
Texto e Direção: Anderson Abreu

Um espetáculo para todas as idades, que retrata o meio ambiente antigamente e como se encontra hoje! Com as suas tecnologias, a ganância do lucro e como anda o comportamento dos seres “humanos” ao planeta.

Ficha técnica
Texto, Direção e Trilha Sonora; Anderson Abreu
Cenário e Figurino: Fabio Santana
Iluminação; Cindy Fragoso
Coreografia: Leila Nascimento
Ediçao musical: Glaydson Camil
Elenco: Cecília Chá, Fabílio Silva, Hannah Lauanny, Jhoyce Águeda, Júlia Ellen, Leandra Lobo, Luciano Mota, Marcos Júnior, Maria Castiel, Maria Fernanda, Pedro Scott, Pietro Basílio, Thais Carvalho, Tom Rocha, Victória Beckmann, Will Caique, Thallis ítalo e Evelyn Radcliffe

SERVIÇO
Dia: 22 de novembro (sexta-feira)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 16hs


A Vaca Minuciosa – Coletivo Cutia
Direção: Direção e assessoria técnica: Viviana Borchardt
Contautor: Pochyua Andrade
Imagine uma vaca que decide falar sobre como ela vê os humanos. Além de capim, a vaca mastiga ideias, cria concepções do mundo que a cerca e vai deixando a gente com muitas perguntas. Claro, ela é uma vaca muito minuciosa, pois revela que a vida poder ser vista por muitos ângulos, criando a possibilidade de interpretar o que acontece ao nosso redor por mais de um viés. Agora imagine essa personagem narrada pelo seu próprio autor, que além de contar os detalhes de sua personagem traz canções acompanhadas pelo violão e convida o público a construir sonoplastias de florestas, tempestades e riachos. No espetáculo “A Vaca Minuciosa” Pochyua convida a família a embarcar na viagem por onde vivem a Minuciosa e a menina Josefina – a “dona” da vaca, e com isso revela a natureza, os conflitos e as soluções que um animal vivencia no seu cotidiano.

SERVIÇO
Dia: 22 de novembro (sexta-feira)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 16hs


Bianor – Trajetórias e Memórias (lançamento do livro)
Pesquisa: Carla Almeida e Cassio Raniere
Uma pessoa torna-se inspiração para escrita biográfica a partir da relevância se sua atuação de vida.
O Projeto Bianor – trajetórias e memórias, apresenta aqui a história de Bianor Mendonça – pessoa comum, trabalhador engajado em suas atividades, que fez sua vida entrelaçar a memória social de sua cidade, Camaragibe, através da participação ativa na política, na organização e na produção da cultura popular.
SERVIÇO
Dia: 23 de novembro (sábado)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 19hs
Classificação: livre


A Mulher Monstro – Sem Cia. de Teatro
Direção e atuação: José Neto Barbosa
Em “A Mulher Monstro”, uma burguesa é perseguida pela própria visão intolerante da sociedade, não sabendo lidar com a solidão e as relações num tempo de ódio visto sem vergonha. O espetáculo aborda a atualidade político-social do Brasil, baseado nas opiniões da internet, ruas, na postura de figuras públicas e no conto “Creme de Alface” de Caio Fernando Abreu
SERVIÇO
Dia: 24 de novembro (domingo)
Local: Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro
Hora: 20hshs
Classificação: 17 anos


Programação Casa – Pós

Performance poética Tamborismo
Direção: Nelson Maca (BA)
Música: Jorjão Bafafé (BA)

Maca fará sua apresentação em parceria com Jorjão Bafafé, grande mestre da percussão afro-baiana. Expressão da oralidade contemporânea estruturada a partir de elementos do poema batuque, da poesia do slam, da poesia dub e do rap, a apresentação explora o ritmo da fala e do corpo acompanhado de toques e efeitos percussivos. Utiliza claves rítmicas do candomblé, ijexá, reggae, dub, rap, kalypso, funk carioca e do funk-soul, além do ritmo próprio dos versos.
SERVIÇO
Dia: 1 de dezembro (domingo)
Local: Casa – Pós
Hora: 20hshs
Classificação: Livre
Valor: contribuição voluntária a partir de R$ 5.00


Receita para se fazer um Monstro
Direção: Andre Chaves
Elenco: Igor Lopes

Um homem convida você para um reencontro. Uma reunião. Uma revisita. Uma cerimônia. Uma demonstração de algo. Ele conta com sua presença (mas no fundo não espera que você vá)


Para maiores informações e programação completa acompanhe o II Encontro das Artes Cênicas pelas redes sociais
Facebook: https://www.facebook.com/eaccg
Instagram: instagram @ei.acc


Publicado em 19 de novembro de 2019
Por Secretaria de Comunicação